Ler ou não ler, eis a questão

"A leitura é sempre frisada como um degrau importante na construção do ser humano, entretanto, o Brasil perde uma livraria a cada três dias, algo que se nota facilmente quando se caminha por um centro comercial ou mais ainda quando não existem livrarias em muitas cidades do país, principalmente em cidades pequenas do interior, demonstrando assim que, o ato de ler não é algo tão importante para o atual governo."
Por Natalia de Andrade
Nov 6, 2022

Democratizar o acesso à leitura, é com certeza algo que toda nação deve priorizar para sua população, ler é um ato de resistir, imaginar e viajar.

A leitura é sempre frisada como um degrau importante na construção do ser humano, entretanto, o Brasil perde uma livraria a cada três dias, algo que se nota facilmente quando se caminha por um centro comercial ou mais ainda quando não existem livrarias em muitas cidades do país, principalmente em cidades pequenas do interior, demonstrando assim que, o ato de ler não é algo tão importante para o atual governo.

A  leitura como ato de resistência é algo importante a se falar,

como disse Luís Inácio Lula da Silva “Ler é um ato político, de resistência e de liberdade”, ou seja, a leitura liberta das amarras não só da mente, mas também de um círculo vicioso que a sociedade cria para aprisionar pessoas.

A leitura pode nos levar a lugares incríveis e existem relatos de crianças que criam amigos imaginários não só para fugir de situações ruins, mas também criam amigos que podem ser levados para a vida toda, já que não há limites e nem idade para a imaginação.

Foto: Getty Images

Ler como ato de resistência também é poder, atualmente o mundo conta com grandes escritoras e muita delas negras que usam seus dons de escrita para retratar situações que perpassam pela população negra, entre elas, o racismo, temos como grande nome a Djamila Ribeiro que é uma filósofa, feminista negra, escritora e acadêmica brasileira, ela escreveu o livro “O pequeno manual anti racista”, e a grandeza desse livro é imensurável, a forma com que ela apresenta a ideia de que o racismo não pode ter mais palco na nossa sociedade é de extrema importância.

“Não basta saber ler que ‘Eva viu a uva’. É preciso compreender qual a posição que Eva ocupa no seu contexto social, quem trabalha para produzir a uva e quem lucra com esse trabalho.”

Paulo Freire

Da importância dos livros como prova escrita de fatos históricos a necessidade do ser humano de descobrir lugares e criar memórias através dos livros, o ponto crucial nessa história é livros importam e perpétua para uma sociedade que não tem a prática da leitura, pois segundo o Instituto Pró-Livro apenas 52% dos brasileiros tem o hábito de leitura, que ler é importante e que uma sociedade evoluída é uma sociedade que ler e utiliza a leitura como degrau para a construção de bons cidadãos.

“A verdade é que nenhum de nós pode ser livre até que todos sejam livres.”

Maya Angelou

Siga-nos no Twitter e Instagram: Instagram: @thebookishmanbrasil / Twitter: @brasiltbm

Natalia de Andrade

Natalia de Andrade

Estudante de negociações internacionais na Universidade Estadual de Santa Cruz e uma apaixonada por livros e assuntos relacionados à justiça social.
Share This